quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Para começar o Ano Novo bem, vale a pena ler este texto...


"Aprendemos que, por pior que seja um problema ou situação, sempre existe uma saída.
Aprendemos que é bobagem fugir das dificuldades. Mais cedo ou mais tarde, será preciso tirar as pedras do caminho para conseguir avançar.
Aprendemos que perdemos tempo nos preocupando com fatos que muitas vezes só existem na nossa mente.
Aprendemos que é necessário um dia de chuva para darmos valor ao Sol, mas se ficarmos expostos muito tempo, o Sol queima.
Aprendemos que heróis não são aqueles que realizam obras notáveis, mas os que fizeram o que foi necessário e assumiram as conseqüências dos seus atos.
Aprendemos que, não importa em quantos pedaços nosso 
coração está partido, o mundo não pára para que nós o consertemos.
Aprendemos que, ao invés de ficar esperando alguém nos trazer flores, é melhor plantar um jardim.
Aprendemos que 
amar não significa transferir aos outros a responsabilidade de nos fazer felizes. Cabe a nós a tarefa de apostar nos nossos talentos e realizar os nossos sonhos.
Aprendemos que o que faz diferença não é o que temos na vida, mas QUEM nós temos. E que boa 
família são os amigos que escolhemos.
Aprendemos que as pessoas mais queridas podem às vezes nos ferir. E talvez não nos amem tanto quanto nós gostaríamos, o que não significa que não amem muito, talvez seja o máximo que conseguem. Isso é o mais importante.
Aprendemos que toda mudança inicia um ciclo de construção, se você não esquecer de deixar a porta aberta.
Aprendemos que o tempo é precioso e não volta atrás. Por isso, não vale a pena resgatar o passado. O que vale a pena é construir o 
futuro.
O nosso futuro ainda está por vir. 
Então aprendemos que devemos descruzar os braços e vencer o medo de partir em busca dos nossos sonhos".
(autor desconhecido)

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

São histórias assim que me fazem acreditar ainda mais...



Embora esteja de férias, fazendo o possível para não pensar nos problemas e expectativas para o próximo ano, me peguei lendo notícias e notícias sobre teatro, interpretação. Confesso que em sua maioria, essas notícias me deixam chateadas. Digo isto, porque sinto um pouco de frustração quando penso que a minha carreira não caminha da maneira como premeditei, como realmente queria. Mas, em meio a uma dessas notícias, me deliciei com o texto e me senti um pouco aliviada, pensei: estou no caminho certo.
O texto de Fernanda Torres que fala um pouco da trajetória de sua mãe, me emocionou. Não só a garra e persistência, mas a entrega de Fernanda Montenegro à arte de interpretar é de uma magia que juro, não consigo expor no papel. É de se admirar essa devoção e esse respeito que ela impõe de si para o teatro, me arrepio só de escrever estas palavras.
Não estou bajulando uma das maiores atrizes do Brasil, nenhum pouco, até porque isto não é do meu feitio, mas admirando seu trabalho, ou melhor, sua devoção ao seu trabalho no teatro. Conhecendo histórias assim, acredito que pelo esforço e perseverança a gente pode chegar lá, embora seja difícil, muito difícil, a gente pode chegar lá sim.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Um outro poema qualquer...

De tudo que era triste
Ficou somente a lembrança
num momento
num instante
tudo mudou
para uma felicidade
constante.

Agora deslumbrada,
na esperança voltei
acreditar,
num instante
o momento,
de alegria e não tormento.

Se transforma em dor, lamúria
e lamento.

em esperança,
agora,
deixei de sonhar.

sábado, 4 de dezembro de 2010

Sublime.


Parece que só levando porrada que a gente aprende! Desculpe o termo acima, mas não encontrei adjetivo melhor. Você já se viu progredindo diante de uma situação fácil e feliz? Aposto que não. O ser – humano apenas progride com a dor, isso é fato notável.
Por isso, não devemos reclamar! Doer dói, claro, ninguém é de ferro quando leva uma rasteira da vida! Sofrer todos nós temos direito, mas ficar se lamentando... não, isso não.
O bom da dor e da rasteira é a angústia, que nos faz repensar nossos passos e nossas ações.
É tão bom e gratificante se sair bem de uma situação, depois de tanto sofrer; você se ergue e vê que tudo não passou de um belo ensinamento, porque é com a dor que progredimos, é com a dor que criamos, enfrentamos e crescemos!
Como diz meu querido e apaixonante Drummond

“A dor é inevitável, o sofrimento é opcional”

A partir da dor, sublime.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Um poema qualquer...

Dói

O tempo retoma o fato
De angústia e dor, por dentro
me mato.

A comida não desce,
Fico só, em meio as minhas preces.
Vejo-me novamente imersa à tristeza,

Dói
Vai passar, sinto.

Mas enquanto vivo esse momento
A vida é tomada de frieza
Não minto.
me perco no tormento.

Dói

Enquanto não passa,

Dói.

                               Roberta Chaves